LOADING

Digite para procurar

Como o carnaval de rua de São Paulo está se tornando o maior do Brasil

Filipe Oliveira
Compartilhar

Marcelo Flores, professor de gestão de eventos da ESPM, conta os segredos do sucesso do carnaval de rua paulistano, que deve atrair 15 milhões de pessoas e movimentar R$ 2,6 bilhões em 2020

São Paulo terá em 2020 o maior carnaval de sua história. Segundo a Secretaria Municipal de Cultura, o evento deve atrair 15 milhões de pessoas e movimentar R$ 2,6 bilhões. Para entender esse fenômeno, conversamos com Marcelo Flores, professor de gestão de eventos da ESPM e fundador da BusinessLand Entertainment. O especialista trabalhou no projeto do Carnaval de Rua de São Paulo entre 2012 e 2014. “Fiz ativações para a Ambev e a Prefeitura de São Paulo por 2 anos nos blocos que começaram a vir para a cidade, ou já tinham tradição com pouco estímulo. Na época, eram aproximadamente 100 blocos. Atualmente, são mais de 600.”

De acordo com dados divulgados pela prefeitura, a cidade terá este ano 678 desfiles distribuídos em 468 pontos. O número de desfiles é 40% maior do que o de 2019. “São Paulo tem investido na organização e gestão de blocos e desfiles. Trabalhou com planejamento para atrair foliões para a grande cidade com o objetivo de se tornar o maior carnaval do País. Este ano certamente terá esta marca.”

Um levantamento da Decolar apontou que a capital paulista é o destino brasileiro mais procurado para o Carnaval em 2020. Em 2019, São Paulo aparecia em terceiro lugar do ranking, atrás de Rio de Janeiro e Salvador.

O professor da ESPM destaca que, com o fortalecimento do carnaval, a cidade ganha mais turistas e eventos que estimulam a geração de empregos diretos e indiretos, bem como de renda com a arrecadação de impostos. “Além disso, dá mais vida para a cidade, para paulistas e paulistanos aproveitarem um evento organizado, público e democrático.”

Vento a favor 

Segundo o especialista, algumas “tendências de mercado” que já vinham acontecendo desde a Copa do Mundo no Brasil ajudaram no fortalecimento do carnaval de rua. “Por exemplo, as pessoas irem para a rua não só por manifestações, mas para eventos abertos e democráticos, ocupando espaços públicos.” Flores cita como exemplo o Réveillon na Paulista, que reúne quase 2 milhões de pessoas por ano na avenida mais famosa da cidade.

Até mesmo a crise econômica teve influência no crescimento do carnaval de rua paulistano. “A resseção econômica também estimulou as pessoas a buscarem entretenimento gratuito. Com isso, mais e mais pessoas mergulharam no carnaval de rua, estimulando o poder público a se estruturar a cada ano na busca de grandes patrocinadores que proporcionassem este crescimento sustentável da festa”.

Marcas na folia
O envolvimento das empresas no carnaval de rua também é apontado como ingrediente essencial para o crescimento do evento. “A participação do setor privado é fundamental. Foram mais de R$ 20 milhões em patrocínio para garantir a infraestrutura da festa.Tudo isso além das ativações das marcas, que são fundamentais para criar apropriações dos patrocinadores”. Pelo terceiro ano seguido, a Ambev é a patrocinadora do carnaval de rua de São Paulo.

Tags:
Filipe Oliveira

Editor do #Trendings.

Você vai gostar também

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *