LOADING

Digite para procurar

Como planejar em meio a uma pandemia?

Jorge Tarquini
Compartilhar

A maioria de nós estava acostumada a planejar semanas e meses à frente: compromissos, reuniões, médicos e exames… A realidade atual nos ensinou que nossa saúde mental depende de traçarmos objetivos de curtíssimo prazo – os únicos com grandes chances de realização, sob o risco de decisões erradas, mudanças bruscas e cenários e, claro muita frustração com projetos interrompidos

Li outro dia uma dessas piadinhas que circulam pelas redes sociais falando da inutilidade das agendas neste 2020. Tem um fundo de razão: quem hoje, não apenas no Brasil, mas no mundo todo, consegue planejar algo que vá muito além dos próximos sete dias?

A maioria de nós já criou novas rotinas dentro desse padrão semanal: o dia das compras (o que ajuda a concentrar a desinfecção de tudo de uma única vez), o dia da faxina, o dia de regar as plantas, o dia de cortar as unhas, o dia de trocar o pijama, o dia de comer carboidratos, o dia de conversar por vídeo com a família e os amigos…

Enquanto alguns ainda conseguem manter alguma previsibilidade, pois a rotina se mantém de algum modo no formato home office, a maioria se sente meio “Carolina”, aquela dos versos do Chico Buarque: “a vida passou na janela e só Carolina não viu”. Mas não se cobre tanto. Mesmo.

Com tempo de sobra para pensar (de sobra, também), decisões intempestivas surgem aos borbotões: trocar de emprego, viajar nas férias de julho, trocar de casa ou de carro. Isso quando não se pensa em trocar de estado civil, de cidade ou de país.

RESPIRE!!!

Essa não é a hora para grandes decisões. Sei que parece muita resignação, mas trata-se de ser estratégico. Pense na pirâmide de Maslow (confira abaixo). O que estamos vivendo nos puxou para a base dela. Qualquer decisão ou atitude precipitada não vai ser apenas uma má decisão ou uma atitude facilmente corrigível: vai colocar em risco exatamente o arroz com feijão que virou nossa vida na quarentena.

Pirâmide de Maslow
Pirâmide de Maslow

Então, não dá para planejar nada? Sim, dá: experimente cursos gratuitos, para descobrir novos interesses; retome contato com amigos pelas redes, converse bastante, troque ideias, ventile suas convicções.

Na hora certa, você vai ver quantos (bons) planos você terá em mente. E com possibilidades reais de realizá-los – e fazer a subida da pirâmide.

Tags:
Jorge Tarquini

Curador do #Trendings.

Você vai gostar também

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *