LOADING

Digite para procurar

Como a inteligência artificial é usada para encontrar influenciadores digitais

Filipe Oliveira
Compartilhar

Rafael Arty, head do Influency.me, revela como plataformas de IA são usadas para encontrar, analisar e monitorar influenciadores e microinfluenciadores nas redes sociais

Vídeos, notícias, podcasts, jogos, bichinhos fofinhos, plataformas de streaming e aplicativos de música. Com um volume cada vez maior de conteúdo na internet, as marcas se esforçam para conseguir a atenção dos consumidores. Uma missão ainda mais complicada para empresas que focam em estratégias tradicionais de divulgação. “Dados mostram que as pessoas fogem de anúncios hoje em dia. Elas querem consumir conteúdo, não querem ver pop-ups”, explicou Rafael Arty, head do Influency.me.

O especialista em marketing de influência palestrou em maio no IX Executive Week, evento realizado na ESPM Tech. Arty destacou como os influencers conseguiram ganhar a atenção do público, mesmo em meio a esse turbilhão de conteúdo. “Eles conversam com você na hora em que você quer, com o conteúdo que você deseja e com a linguagem que você se identifica”, afirmou o head do Influency.me. “É uma relação muito pessoal e intimista.”

Surgiu assim a possibilidade de as marcas se aproximarem dos consumidores. Inicialmente, os anunciantes buscaram influencers com um grande número de fãs, mas atualmente focam em engajamento e quantidade. Com isso, os microinfluenciadores ganharam espaço. “Ao invés de pagar um grande influencer, pagam mil microinflueciadores para fazer buzz na rede”, explicou Arty. “Quando chegamos nesse momento em que a quantidade é importante, começamos a ter a interferência das tecnologias, como IA. Afinal, você não conseguia mais pesquisar na unha quem eram esses caras.”

O Influency.me, por exemplo, tem uma plataforma de inteligência artificial que busca e analisa criadores de conteúdo. “Nosso robô capta o que as pessoas falam, transforma em texto e analisa. Também diz a audiência do influenciador, a idade do público e quais marcas ele costuma citar”. Com esses dados, as empresas podem escolher com maior precisão os influenciadores e microinfluenciadores que utilizarão em suas campanhas. “Isso era feito com planilha no Excel e quarenta estagiários procurando influenciadores. Com a inteligência artificial, começa a ganhar escala de uma maneira que não era possível”.

Arty explica que esse tipo de ferramenta também pode ser usado para gestão e análise de dados de campanhas de marketing de influência. “Antes você tinha influenciadores que postavam ou te mandavam conteúdo e esses dados eram imputados em uma planilha. Hoje essa tecnologia consegue acompanhar o que está sendo postado pelos influenciadores contratados e captar tudo. Até então, o marketing de influência não tinha métrica.”

Tags:
Filipe Oliveira

Editor do #Trendings.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *