LOADING

Digite para procurar

Trocar muito de empresa pega mal? Orientadora de carreira responde

Filipe Oliveira
Compartilhar

Adriana Gomes, coordenadora nacional da área de Carreira e Mercado da ESPM, diz se é mito ou verdade a ideia de que muitas trocas mancham o currículo

“Quem troca muito de emprego é malvisto pelos recrutadores”. Você certamente já ouviu essa frase. Mas afinal, isso é mito ou verdade? Para responder essa pergunta, o Trendings consultou Adriana Gomes, coordenadora nacional da área de Carreira e Mercado da ESPM.

De acordo com a especialista, essa ideia de que muitas trocas fazem mal ao currículo não é realidade nos dias de hoje. “Hoje em dia as mudanças são muito mais frequentes. As pessoas não são fieis as empresas, querem ter outras experiências, novos desafios e buscam a ascensão mais rápido. Hoje não é um problema.”

Porém, a especialista – que tem mais de 25 anos de experiência como orientadora de carreira, recomenda que as pessoas passem ao menos um ano em cada organização. “A pessoa tem que permanecer na organização por pelo menos um ano para que tenha tempo de implementar algum projeto e colher resultados.”

Obviamente essa “regra” pode ser quebrada quando o funcionário não se adapta a cultura organizacional ou enfrenta outros tipos de problemas em seu ambiente de trabalho. “Estou assessorando uma moça agora que aceitou uma oportunidade e descobriu que a empresa é péssima e tem um tratamento péssimo. Então, é preciso rever caso a caso”, avalia Adriana.

E passar muito tempo em uma empresa?

De acordo com a especialista, isso também não é um problema, desde que o funcionário sinta que está evoluindo. “Se a empresa está te dando oportunidade de se desenvolver, crescer, se aprimorar, aprender, mesmo que não tenha um crescimento vertical, mas um horizontal, não há problema nenhum permanecer na empresa onde essa renovação é continua.”

LEIA TAMBÉM:

Como a saúde mental afeta sua produtividade

Quiz: descubra se você está trabalhando em condições normais ou anormais de home office

Conheça os sinais de uma carreira estagnada

Tags:
Filipe Oliveira

Editor do #Trendings.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *