LOADING

Digite para procurar

As pandemias dos últimos 100 anos

Jorge Tarquini
Compartilhar

Não é a primeira vez que a humanidade se depara com contaminação em escala mundial. E uma curiosidade: todas dos últimos 100 anos foram causadas por vírus da gripe

O pânico que tomou de assalto a humanidade, os mercados, as bolsas e o câmbio por causa do Covid-19 é inédito. O que não é novidade é o surgimento de pandemias…

Nos últimos 100 anos, a humanidade se deparou com quatro pandemias – e a última foi há pouco mais de 10 anos. E todas, numa triste coincidência, foram decorrentes da mutação do vírus da gripe (que é constante) e podem ter sido espalhadas pelo contágio dos humanos por animais.

O que pode ser interpretado como um sinal de alívio é que, pela primeira vez, a humanidade pode estar bem preparada para combater a doença com rapidez e eficiência – e diminuir o tempo da pandemia. Ao menos é o que acredita Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS): “Seria a 1ª pandemia da história que poderia ser controlada. O ponto principal é: não estamos à mercê deste vírus”.

Veja abaixo quais foram as pandemias dos últimos 100 anos:

Gripe Espanhola (1918-1919)

A doença, que na verdade surgiu em março de 1918 nos Estados Unidos, mais especificamente entre militares do país no estado do Texas, foi a mais letal do século 20: em uma semana já havia contágio em Nova York. Ao todo, infectou 40% da população mundial.

No Brasil, chegou em setembro daquele ano, acredita-se que trazida pelo navio inglês Demerara, que aportou em Recife e Salvador.

Apesar da natural imprecisão dos números e estatísticas à época, acredita-se que tenha matado 50 milhões de pessoas em todo o mundo apenas no primeiro ano – e há quem considere que tenha chegado a até 100 milhões. No Brasil, foram 35.000 mortes.

Por que foi tão devastadora? Em 1918, os médicos haviam acabado de descobrir a existência dos vírus – e não sabiam como combatê-los… Ou seja: não sabiam como tratar ou conter o contágio.

Curiosidade: por que “espanhola”? Apenas por que a Espanha, neutra na Primeira Guerra, noticiou o contágio dos soldados dos Estados Unidos. No caso, o mensageiro ficou com a fama…

Gripe Asiática (1957-58)

Coincidentemente, assim como a Covid-19, surgiu na China – e igualmente tinha nos idosos sua presa mais fácil. Essa cepa do vírus surgiu de uma combinação entre um vírus conhecido que infectava humanos e uma mutação que afetou patos selvagens.

Essa, porém, não chegou ao Brasil: alastrou-se em pouco mais de 9 meses pela Ásia, Oceania, África, Europa e Estados Unidos. Apesar de ter sido contida rapidamente, com a criação de uma vacina, sua produção não foi suficiente para evitar as estimadas 2 milhões de mortes.

Gripe de Hong Kong (1968-69)

A terceira pandemia de gripe do século 20 foi a do subtipo do vírus da gripe conhecido por H3N2 (influenza A) – e que também veio da combinação de cepas de vírus provenientes de aves, suínos e humanos e de uma variação da gripe asiática.  A rapidez com que se espalhou foi a responsável pelos mais de 1 milhão de mortes (estimativa da OMS) se deveu basicamente pelo desenvolvimento dos voos internacionais, que se tornavam mais comuns àquela altura.

Gripe Suína (2009-10)

Pouco mais de 10 anos atrás, uma nova cepa do vírus da gripe surgiu no México em março de 2009, da mutação de vírus encontrados em aves e porcos. Ficou conhecida também como gripa A, se alastrou rapidamente por outros 74 países – a ponto de ser decretada a pandemia em 11 de junho daquele ano. Foram cerca de 700 milhões de contágios, com 570 mil mortes.

Tags:
Jorge Tarquini

Curador do #Trendings.