LOADING

Digite para procurar

Saúde mental finalmente entra na pauta corporativa

Jorge Tarquini
Compartilhar

O prolongado período de quarentena e o consequente home office colocaram ansiedade e depressão na pauta do dia das empresas, que precisam zelar pela manutenção do bem-estar mental dos colaboradores – posta à prova cotidianamente nos últimos tempos

A Covid-19 não trouxe apenas os desafios do home office para as empresas. O isolamento, as demandas domésticas, a insegurança com relação a um possível contágio (seu ou de familiares) ou quanto ao futuro profissional (e da empresa para a qual trabalha e do próprio emprego), o excesso de reuniões online, cortes de salários e muitas vezes metas e cobranças que excedem até mesmo padrões pré-pandemia aumentaram (e muito) a incidência de ansiedade, depressão e outros aspectos de desequilíbrio da saúde mental dos trabalhadores.

O alerta foi dado por Aiyash Malik, especialista em saúde mental da Organização Mundial da Saúde (OMS), que capitaneou uma pesquisa extensa sobre o assunto em abril. O que fez com que a Organização das Nações Unidas (ONU) lançasse, em maio, um relatório sobre o tema. Clique aqui para ver a íntegra do documento.

Apenas para se ter uma ideia do tamanho da “epidemia” de problemas psicológicos, a ONU destaca que, na Etiópia, houve um aumento de três vezes na prevalência de sintomas de depressão, comparado aos dados de antes da pandemia. Durante a pandemia, profissionais de saúde da China relataram altas taxas de depressão (50%), ansiedade (45%) e insônia (34%) – enquanto que, no Canadá, 47% dos profissionais de saúde relataram a necessidade de suporte psicológico.

Mas, cá entre nós: essa pesquisa, na verdade, não foi para descobrir o fato – mas para saber suas dimensões. Afinal, a pandemia afetou e afeta a vida de todo mundo (no mundo todo). O ponto é outro: quando foram apagados os limites entre o espaço privado e o público, principalmente o profissional, passou a ser problema das empresas aquilo que está ocorrendo dentro da casa de seus funcionários. Afinal, é simplesmente impossível separar.

Empresas de ponta já colocaram no ar programas e serviços voltados ao apoio psicológico de seus colaboradores. Entre as iniciativas mais bem-vindas e bem-sucedidas estão serviços telefônicos 0800 que atendem 24 horas/7 dias por semana, que oferecem apoio não apenas psicológico (sim, terapia online) mas também jurídico, financeiro e social.

Nessa lista aparecem desde multinacionais como a Unilever (uma das pioneiras, pois seu serviço data de 2017), McDonald’s e ESPM – que abre o serviço também para pais e dependentes de seus funcionários e professores.

Para muito além das manjadas “pesquisas de clima”, será que as empresas passarão a olhar individualmente para a saúde mental de seus colaboradores? Seria um belo saldo positivo deixado pela nossa aventura ao longo desta longa pandemia…

LEIA TAMBÉM:

Executivos debatem o papel do CEO no ‘novo normal’

6 dicas para liderança em home office

Entrevista online: 5 dicas para se sair bem

Tags:
Jorge Tarquini

Curador do #Trendings.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *