LOADING

Digite para procurar

Especialista explica a importância do feedback em home office

Filipe Oliveira
Compartilhar

Marcia Portazio, professora de Liderança da pós-graduação da ESPM, fala sobre a importância do feedback em tempos de home office em nosso último post da série sobre o tema

Não planejar antes de falar, escolher o momento errado para a conversa, dar um feedback que não diz nada ou expor os colaboradores. Esses costumam ser alguns dos erros cometidos por líderes na hora do feedback. Tão ruim quanto essas falhas é abrir mão dessa ferramenta de gestão, desenvolvimento e motivação dos colaboradores.

“Acho que uma equipe que não tem feedback não pode ser chamada de equipe. A comunicação clara, transparente e assertiva, é uma das características fundamentais do trabalho em equipe”, afirma Marcia Marques Portazio, professora de Liderança da pós-graduação da ESPM. “Sem o feedback, você não tem como garantir o alinhamento das pessoas na mesma direção.”

Com o distanciamento do trabalho remoto, essa ferramenta se torna ainda mais importante. “Muito se falava sobre a necessidade de um monitoramento ou controle dos funcionários no home office. Se você fizer um trabalho de gerenciamento bem feito, com boa comunicação e feedback, não vai precisar se preocupar com isso.”

A especialista recomenda que o gestor converse frequentemente com seus colaboradores sobre “qualquer coisa que esteja o preocupando”. Sejam questões relacionadas as demandas, prazos de entrega ou mesmo comportamentais. Desse modo, líder e colaborador podem alinhar expectativas para alcançar os resultados desejados.

Como a comunicação por telefone ou chamada de vídeo pode não ser tão eficiente quanto um encontro pessoal, Marcia recomenda que o gestor seja ainda mais cuidadoso para evitar possíveis ruídos. “É preciso ser ainda mais cuidadoso com a questão do planejamento, não ser impulsivo e fazer uma abordagem respeitosa”, sugere a professora. “Também é importante focar o feedback muito mais na questão da entrega e da qualidade das tarefas, já que, se pensamos na questão comportamental, as pessoas não estão interagindo com a mesma intensidade que interagiam no escritório.”

Este foi nosso último post de nossa série sobre feedback. Confira os textos anteriores nos links abaixo:

Conheça os tipos de feedback e veja dicas sobre cada um deles

Como dar feedback: confira 8 dicas importantes sobre o tema

Tags:
Filipe Oliveira

Editor do #Trendings.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *